CANAL DE CONTEÚDO

    Como diminuir custos de uma empresa com segurança do trabalho?

    Prevenir é o melhor remédio?

    Embora muitas empresas ainda apresentem dúvidas quanto ao investimento em segurança no trabalho, de acordo com dados do Ministério da Previdência Social (MPS), a saúde do trabalhador brasileiro precisa de mais atenção, sendo o melhor negócio o investimento na segurança no trabalho.

     

    A empresa que manifesta uma postura de assegurar a saúde e a segurança de seus colaboradores no horário do labor, além de criar um ambiente mais saudável como um todo, acaba por economizar, pois com mais prevenção, haverá menos funcionários machucados ou doentes e com isso, menos afastamentos e indenizações e mais produtividade de qualidade. Por isso, por mais que a empresa inicialmente tenha um gasto ao investir nesse setor da segurança do trabalho, a prevenção é economicamente favorável a logo prazo e só tem a beneficiar a empresa.

     

    Quando um colaborador apresenta indícios de adoecimento, esse fato traz embutido uma, possível, rachadura no desempenho coorporativo, uma vez que a empresa funciona como uma “máquina” e, no caso em questão, faltará uma peça que faz parte do maquinário e que é essencial para seu funcionamento. Ainda que outro funcionário preencha a função do colaborador afastado, não há certeza de que o ofício será executado da melhor maneira possível. E, para o empresário habituado ao bom andamento da empresa, não há nada pior do que trabalhar com imprevistos, improvisos e incertezas.

     

    De modo a esclarecer aonde e como serão os investimentos em segurança do trabalho e, para evitar possíveis conflitos com a parte pessoal da empresa, citam-se abaixo algumas ações importantes:

     

    – Estudo de ambiente de trabalho;

    – Análise das causas de acidentes de trabalho;

    – Palestras e treinamentos;

    – Aplicação de EPCs;

    – Aplicação de EPIs;

    – Avaliação dos resultados obtidos;

    – Eventual correção ou ajuste dos métodos usados;

    – Manutenção das ações que deram certo;

    – Ações relacionadas à área de medicina do trabalho;

    – Exames médicos do PCMSO;

    – Avaliação das causas de doença do trabalho;

    – Sugestão de medidas corretivas;

    – Eventual avaliação psicológica no trabalhador;

    – Realização de vacinação de acordo com o risco da função (quando houver);

    – Registro e guarda dos dados de acordo com as normas vigentes.

     

    Em se tratando de Segurança no trabalho, a máxima “prevenir é melhor do que remediar”, encaixa-se perfeitamente. Apesar de não haver cálculo exato, vários são os fatores apurados para entender que as perdas causadas por acidentes laborais justificam a prevenção. Um acidente no ambiente de trabalho pode custar ao indivíduo disfunções, sequelas e, até mesmo, a vida, que tem valor imensurável.

     


     

    Quer saber mais sobre redução de custos com insalubridade? Baixe nosso ebook sobre o Programa Insalubridade Zero.

    Comentários